skip to Main Content
Estou Insatisfeito Com Os Rumos Da Minha Carreira. E Agora?

Estou insatisfeito com os rumos da minha carreira. E agora?

Você costuma dedicar tempo para refletir sobre a sua carreira? Nos meus atendimentos o discurso recorrente é que existe a preocupação, entretanto, as pessoas acabam consumidas pela “maratona” do dia a dia, deixando o tema para segundo plano. Quando os coachees são questionados sobre como encontraram o seu caminho de carreira, não raro escuto que as coisas foram acontecendo e que acabaram sendo levados pelas circunstâncias. Mas chega um momento em que o profissional percebe que está insatisfeito, que precisa rever a sua trajetória e dar um novo sentido para a carreira, e muitas vezes para a vida.

A carreira ocupa um espaço muito importante na vida das pessoas. Se você pensar em todas as esferas da vida perceberá que o campo profissional possui um peso significativo quando comparado às demais áreas, como relacionamento, lazer, família, finanças, saúde e bem estar, intelectual e espiritual. E é óbvio que uma área desequilibrada poderá impactar negativamente em todas as outras. É complicado…

Nessa situação muitos não conseguem enxergar alternativas, começam a andar em círculos, sem sair do lugar. A visão fica limitada e não permite encontrar uma solução. Queixas sobre problemas de saúde e estresse também são recorrentes.

Em cima desses pontos vou propor uma reflexão:

Será que o problema é realmente a carreira ou o meu momento profissional ou o meu momento de vida? Ou será apenas uma fase ruim? Estou feliz na empresa em que trabalho? E com o estilo de gestão do meu líder? Existe alinhamento entre os meus valores e os da organização? E a minha vida, como anda? É preciso parar e refletir para entender a causa da sua insatisfação.

Vejo que nada está bem e concluo que o problema é o meu chefe e a empresa. Certamente você também tem a sua parcela de responsabilidade diante de todo esse quadro. E qual é a minha parcela? Qual é a minha responsabilidade nisso tudo?

Será que eu estou acomodado? O quanto estou aberto a mudar e a avaliar novas possibilidades? Estou disposto a mudar? Quais são os meus receios? E quais os maiores desafios a serem enfrentados dentro do processo de mudança? (lembrando que esse é um processo que deve ocorrer de dentro para fora, portanto, quem encontrará o seu caminho é você!). Realmente é muito difícil mudar. Sempre digo que a “palavra mágica” é coragem, logicamente, aliada a responsabilidade e ao planejamento

Quanto tenho investido na minha carreira e no autodesenvolvimento?O que tenho feito por mim? Quais são as minhas referências profissionais? Tenho um mentor? E os cursos de atualização, estão em dia?

O ponto de partida para todos esses dilemas é o autoconhecimento. O quanto de investimentos você tem feito nessa área? Costuma solicitar feedback aos seus gestores, pares e/ou pessoas da sua confiança? Já participou de algum processo que tem como foco o autoconhecimento, assessment, por exemplo, ou já buscou o apoio de um profissional especializado?

Também refletiu sobre qual é a sua missão? Qual é seu propósito? É muito importante que exista alinhamento entre trabalho, propósito, valores, paixões e o seu jeito de ser. Vamos começar a pensar mais sobre tudo isso?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top