skip to Main Content
Você Já Teve Que Lidar Com Pessoas Difíceis No Trabalho?

Você já teve que lidar com pessoas difíceis no trabalho?

No trabalho estamos todo o tempo interagindo e nos deparamos com pessoas de diferentes estilos. Algumas são mais acessíveis e outras nem tanto, cada uma com suas particularidades e seu jeito peculiar de lidar com as situações. São muitos profissionais que trazem consigo características próprias, seus valores, suas crenças e sua forma de encarar as situações. O nosso desafio está em saber lidar com as diferenças e chegar a um resultado que esteja alinhado aos interesses do negócio e metas da organização.

Em alguns casos, a pessoa pode ser considerada difícil por mim, mas não pelo outro. Mas também temos situações de unanimidade, aquele que realmente não agrada ninguém. Tem a pessoa que é rude no contato com tendência a agir de maneira hostil e até agressiva na relação; ou o mal-humorado, sempre de cara feia e de mal com o mundo; ou que reclama de tudo, o pessimista que nunca está feliz; ou o que sempre tem razão e quer as coisas do seu jeito; ou o indeciso que perde o timing das situações pela morosidade nas decisões. E tem o pior de todos, o imprevisível, aquele que você não sabe o que esperar: tem dias em que está ótimo e outros em que não convém nem chegar perto para conversar, ou seja, uma eterna caixa de surpresas. Você consegue identificar pessoas com essas características no seu ambiente profissional?

Essas pessoas são reais. Então, como lidar com elas? Não existe receita pronta, mas adotar certas atitudes pode ajudar:

Estabeleça e respeite seus limites: não se deixe afetar pelo outro, evite julgamentos e não perca a calma, deixando claro seus limites desde a primeira interação. Muitas vezes essas pessoas assumem uma postura de superioridade e, se você permitir, será sempre subjugado na relação. Não assuma o papel de submissão.

Procure escutar: pode ser que a pessoa necessite apenas ser ouvida e receber atenção. Pratique empatia.

Mantenha o equilíbrio: não aceite provocação, mantenha a calma e evite o confronto. Você irá apenas se estressar e não resolverá o problema.  Seja paciente e procure agir com diplomacia.

Envolva uma terceira pessoa na situação: essa é uma estratégia muito usada em processos de negociação, especialmente, quando já ocorreu um desgaste no relacionamento, difícil de ser revertido. Nunca deixe de procurar ajuda se precisar.

Dê foco no problema e não na pessoa: outra premissa da negociação. Não se deixe afetar pelo clima gerado na situação, esteja atento aos seus próprios sentimentos e não permita tratar as situações de maneira pessoal. O seu objetivo é resolver o problema/ situação, tome o cuidado de manter sua atenção e dar foco na solução da questão, e não na pessoa que está à sua frente.

Não guarde rancor: mágoa é sempre algo improdutivo. Esforce-se em desculpar as falhas e a falta de controle do outro, mas permaneça atento e não se deixe enganar por eventuais recaídas.

Saiba o momento de recuar: e se for o caso, recue. Existem momentos em que não adianta insistir, sobretudo, quando não existe receptividade por parte do outro. Neste caso, é melhor deixar a conversa para outro dia quando os ânimos estiverem menos acirrados.

Mas é preciso admitir: com certeza, em algum momento, já demonstramos pelo menos uma das características encontradas em pessoas difíceis, afinal ninguém “é de ferro”. O segredo está na busca de equilíbrio e do autoconhecimento, estar sempre aberto a refletir e a avaliar as próprias ações com o objetivo de constante aprimoramento e crescimento.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top